sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Instrumentos usados nas culturas e religiões afro-brasileiras



Instrumentos usados nas culturas e religiões afro-brasileiras

A contribuição da religião dos escravos africanos é muito forte no Brasil. Nos primeiros séculos de formação do nosso país, os africanos não tinham liberdade para praticar sua religião, pois as crenças africanas eram alvo de preconceito. Por isso, os escravos passaram a praticar a religião católica, mas associavam os santos do catolicismo aos deuses africanos.

Com isso, muitos escravos não adotaram de fato a religião de seus donos, apenas disfarçavam seus deuses sob a forma dos santos católicos. Assim, encontraram uma forma de continuar a praticar sua religião. Ao longo do tempo, as autoridades ora reprimiam ora toleravam os cultos africanos.

Outras manifestações culturais africanas, como o samba e o lundu, também foram alvos de vigilância e repressão pelas autoridades.
Enquanto trabalhavam, os escravos entoavam cantos. No campo, a música os ajudava a manter um ritmo de trabalho. Nas cidades, os escravos entoavam “chamadas” para anunciar os seus produtos, que eram cantadas tanto na sua língua de origem como em português. Quando se reuniam em grupo, nos raros momentos de descanso, também cantavam e dançavam.

Na falta de instrumentos musicais, improvisavam com o que tinham à mão. Para isso, usavam seus próprios objetos de trabalho e deles tiravam sons para acompanhar a cantoria. Havia também escravos que tocavam em orquestras ou que cantavam nos coros das igrejas.

O samba, que entre os quiocos significa brincar, o calango e o lundu são manifestações musicais dos africanos que contribuíram para a música brasileira.
Alguns instrumentos musicais, como a cuíca ou puíta, o berimbau e o ganzá, também foram heranças culturais dos africanos.


Alguns instrumentos usados nas culturas e religiões afro-brasileiras:


Adjá:

O adjá é um instrumento folclórico afro-brasileiro, idiofone, espécie de campainha de metal, simples ou dupla, também conhecido por campa ou sineta. Tem a função de invocar os orixás, chamar os crentes para o ritual de “dar comida” ao santo, ou para reverenciá-lo, além de acompanhar as danças e os toques de atabaque.




Agogô:

O Agogô é um instrumento musical formado por dois cones metálicos unidos por um arco também de metal. É outro instrumento muito presente na cultura afro-brasileira. Sua entrada no Brasil aconteceu com a chegada dos negros africanos. Inclusive o vocábulo agogô é de origem nagô e significa sino. Presente em diversas danças e ritmos da cultura popular, sua maior participação é muito comum no samba e nos terreiros, nas cerimônias religiosas afro-brasileiras.




Afoxé:

Afoxé é um instrumento musical composto de uma cabaça pequena redonda, recoberta com uma rede de bolinhas de plástico. 





Atabaque:

Atabaque é um instrumento musical de percussão. Constitui-se de um tambor cilíndrico ou ligeiramente cônico, com uma das bocas cobertas de couro de boi , veado ou bode. É tocado com as mãos, com duas baquetas, ou por vezes com uma mão e uma baqueta, dependendo do ritmo e do tambor que está sendo tocado.





Djembé:

O Djembe é construído com uma pele única de animal - hoje normalmente de cabra, embora os originais fossem feitos a partir de pele de antílope. Alguns djembes industriais são feitos de fibra e com peles sintéticas, ganhando em termos de durabilidade e perdendo, naturalmente, em termos de riqueza de som.
No Senegal e no Mali. “Djem” se refere à árvore de onde sai à madeira para fazer o corpo do instrumento, e “be” significa cabra; onde a pele do animal serve como a superfície do djembe.





Berimbau:

Arco de madeira retesado por corda de arame, com uma cabaça aberta presa à parte inferior externa do arco, tocado com uma vareta de madeira e com o dobrão (peça de metal), com acompanhamento do caxixi.







Caxixi: 

O caxixi é um chocalho feito de palha trançada com a base de cabaça, cortada em forma circular e a parte superior recta, terminando com uma alça da mesma palha, para se apoiar os dedos durante o toque.
No interior do caxixi há sementes secas, que ao se sacudir dá o som característico.





Ganzá:

Ganzá é um instrumento brasileiro que é semelhante a um chocalho e usado em samba e outros ritmos brasileiros, como um instrumento de percussão. O ganzá cilindricamente é a forma que é feito de uma cesta de tecidos à mão ou um tubo de metal ou plástico que é preenchido com miçangas, pedras, bolas de metal ou outros artigos similares.





Gonguê:

O gonguê é um grande agogô, com uma única campânula, percutido com uma vareta de madeira.





Xequerê:

O xequerê é instrumento musical feito de uma cabaça cortada ao meio em uma das extremidades e envolta por uma rede de contas.
















(Textos e imagens sem autor conhecido, retirados em pesquisas na internet)

2 comentários:

lânternamágica disse...

http://alma-de-deus.blogspot.pt/


vai adorar amigo!!

Mairi De Macedo Oliveira disse...

Bom trabalho de explicações ,apresentando as imagens dos instrumentos . Mairi.